psiquiatra - dr cyro masci - logo transparente 2
psiquiatra - dr cyro masci - logo transparente 2
psiquiatra - dr cyro masci - logo transparente 2

O que fazer durante uma crise de ansiedade ou de pânico

O que fazer durante uma crise de ansiedade ou de pânico

Imagine que você está no meio de uma tempestade no mar. As ondas estão altas e o vento sopra forte, fazendo com que seu barco balance violentamente. Você sente que pode ser lançado ao mar a qualquer momento, e a sensação de desespero é avassaladora. Essa é a sensação de uma crise de ansiedade ou de pânico – um turbilhão de emoções e sensações físicas que parecem incontroláveis e ameaçadoras.

Durante esses momentos de tempestade emocional, é comum sentir-se descontrolado e incapaz de lidar com a situação. No entanto, assim como um marinheiro experiente conhece técnicas para navegar através de uma tempestade, existem métodos eficazes para reduzir a intensidade de uma crise de ansiedade ou de pânico e recuperar o controle.

Este texto apresenta 5 estratégias comprovadamente úteis nessa situação:

A) Técnica de Grounding (Aterramento)

A técnica de grounding é uma ferramenta poderosa para reconectar-se com o presente e afastar-se das sensações avassaladoras de uma crise. Você pode usar qualquer uma das partes dessa técnica separadamente ou combiná-las conforme achar necessário. Vamos esmiuçar cada parte:

1. Foco nos Cinco Sentidos

Esta parte da técnica envolve usar os seus sentidos para ancorar-se no momento presente, ajudando a reduzir a sensação de estar fora de controle.

Como fazer:

  • 5 coisas que você pode ver: Olhe ao seu redor e identifique cinco coisas que você pode ver. Pode ser qualquer coisa, como uma planta, um quadro na parede, um livro, etc.
  • 4 coisas que você pode tocar: Encontre quatro coisas ao seu alcance que você pode tocar. Pode ser a textura do tecido da sua roupa, uma caneta, uma mesa, etc.
  • 3 coisas que você pode ouvir: Pare e escute três sons diferentes ao seu redor. Pode ser o som do vento, o som de pessoas conversando, o som do seu próprio respirar, etc.
  • 2 coisas que você pode cheirar: Tente identificar dois cheiros ao seu redor. Pode ser o aroma de uma vela, o cheiro do café, o cheiro do sabão nas suas mãos, etc.
  • 1 coisa que você pode saborear: Concentre-se em uma coisa que você pode saborear. Pode ser o sabor de um chiclete, uma bala, ou simplesmente a sensação da sua saliva.

2. Foco na Respiração Profunda

A respiração profunda ajuda a acalmar o sistema nervoso e reduzir a frequência cardíaca.

Como fazer:

  • Sente-se ou fique em pé em uma posição confortável.
  • Inspire profundamente pelo nariz durante 4 segundos.
  • Segure a respiração por 4 segundos.
  • Expire lentamente pela boca durante 6 segundos.
  • Repita esse ciclo por alguns minutos, focando apenas na sensação do ar entrando e saindo do seu corpo.

3. Foco nas Sensações Físicas

Concentrar-se em sensações físicas específicas pode ajudar a desviar sua atenção da ansiedade para o ambiente ao seu redor.

Como fazer:

  • Toque algo com uma textura interessante, como uma bola antiestresse, um tecido macio ou um objeto que você goste de segurar.
  • Sente-se firmemente numa cadeira, sentindo o peso do seu corpo contra o assento e os pés firmes no chão.
  • Pressione suavemente as pontas dos dedos uma contra a outra e observe a sensação.
  • Movimente-se, como levantar e esticar os braços, para sentir o movimento dos músculos e a diferença entre tensão e relaxamento.

Como combinar estratégias de Grounding (Aterramento)

Você pode usar essas técnicas de grounding de maneira individual ou combiná-las conforme achar necessário. Por exemplo, se estiver numa crise, pode começar com o foco na respiração profunda para acalmar o corpo e, em seguida, passar para a técnica dos cinco sentidos para se reconectar com o ambiente. Se preferir, pode focar apenas nas sensações físicas para ajudar a trazer a mente de volta ao presente. O importante é encontrar a combinação que melhor funcione para você.

B) Técnica da Respiração Controlada

A respiração controlada é uma técnica eficaz para gerenciar crises de ansiedade. A respiração lenta e profunda pode ativar o sistema nervoso parassimpático, que ajuda a reduzir a resposta ao estresse. Abaixo estão algumas variações de técnicas de respiração, incluindo uma focada no controle da expiração, ideal para pacientes que têm dificuldade em controlar a inspiração.

1. Respiração Diafragmática

Esta técnica envolve respirar profundamente com o diafragma, promovendo relaxamento e calma.

Como fazer:

  • Inspiração: Inspire profundamente pelo nariz durante 4 segundos, sentindo o abdômen se expandir.
  • Pausa: Segure a respiração por 4 segundos.
  • Expiração: Expire lentamente pela boca durante 6 segundos, sentindo o abdômen se contrair.
  • Repetição: Repita esse ciclo por alguns minutos até sentir-se mais calmo.

2. Respiração Quadrada ou Em Caixa

Também conhecida como respiração em caixa, esta técnica é simples e estruturada, ajudando a equilibrar a respiração.

Como fazer:

  • Inspire: Inspire pelo nariz contando até 4.
  • Pausa: Segure a respiração contando até 4.
  • Expire: Expire pela boca contando até 4.
  • Pausa: Segure a respiração contando até 4.
  • Repetição: Repita o ciclo várias vezes.

3. Respiração Focada na Expiração

Para pacientes que têm dificuldade em controlar a inspiração, focar na expiração lenta pode ser particularmente útil.

Como fazer:

  • Inspiração Natural: Inspire pelo nariz de forma natural e confortável, sem forçar a profundidade.
  • Expiração Prolongada: Expire pela boca o mais lentamente que conseguir. Imagine que está soprando através de um canudo, prolongando a expiração por 8 segundos ou mais.
  • Pausa Breve: Faça uma breve pausa de 2 segundos antes de inspirar novamente.
  • Repetição: Continue esse ciclo, focando-se em manter a expiração o mais lenta e longa possível. Repetir por alguns minutos até sentir-se mais calmo.

Dicas Adicionais:

  • Posição confortável: Sente-se ou deite-se em uma posição confortável para facilitar a respiração.
  • Ambiente tranquilo: Encontre um ambiente tranquilo onde você possa se concentrar na respiração sem distrações.
  • Mantenha o foco na sensação: Concentre-se nas sensações da respiração – o ar entrando e saindo do seu corpo, a expansão e contração do seu abdômen.

C) Técnica de Estimulação do Nervo Vago

O nervo vago é um dos nervos mais longos do corpo humano, partindo do cérebro e estendendo-se até o abdômen, passando por diversos órgãos importantes, incluindo o coração e o trato digestivo. Ele faz parte do sistema nervoso autônomo, que regula funções involuntárias do corpo, como a frequência cardíaca, a digestão e a respiração.

Papel do Nervo Vago e do Sistema Nervoso Autônomo

O sistema nervoso autônomo é dividido em duas partes principais: o sistema nervoso simpático e o sistema nervoso parassimpático. O sistema simpático é responsável pela resposta “luta ou fuga” durante situações de estresse, aumentando a frequência cardíaca e a pressão arterial. Em contrapartida, o sistema parassimpático, onde o nervo vago é um componente crucial, é responsável pela resposta “descanso e digestão”, promovendo o relaxamento e a recuperação.

Quando o nervo vago é estimulado, ele ativa o sistema nervoso parassimpático, ajudando a reduzir a resposta ao estresse, diminuir a frequência cardíaca e promover uma sensação de calma. Por isso, estimular o nervo vago pode ser uma maneira eficaz de aliviar os sintomas de uma crise de ansiedade ou pânico.

Aqui estão algumas técnicas detalhadas para estimular o nervo vago e promover o relaxamento:

1. Gargarejar

Gargarejar ativa o nervo vago através das vibrações na garganta.

Como fazer:

  • Água Morna: Pegue um copo de água morna.
  • Gargarejo: Gargareje a água por 30 segundos, deixando as vibrações acalmarem a área da garganta.
  • Repetição: Repita o processo algumas vezes até sentir-se mais calmo.

2.  Cantar, Humming ou Declamar Canções

Cantar, fazer um som de humming (zumbido) ou declamar canções utiliza vibrações vocais para estimular o nervo vago.

Como fazer:

  • Escolha uma Canção: Escolha uma música que você goste ou um poema que você saiba de cor, ou simplesmente faça um som de humming.
  • Cantar/Humming/Declamar: Cante, faça o som de humming ou declame a canção por alguns minutos, focando nas vibrações que percorrem sua garganta.
  • Repetição: Continue até sentir uma sensação de relaxamento.

3. Massagem Abdominal

Massagens leves na área abdominal podem estimular o nervo vago, promovendo relaxamento.

Como fazer:

  • Deite-se Confortavelmente: Deite-se de costas em uma posição confortável.
  • Movimentos Circulares: Com as pontas dos dedos, faça movimentos circulares leves no abdômen, especialmente na área ao redor do umbigo.
  • Pressão Suave: Use uma pressão suave, movendo-se no sentido horário.
  • Repetição: Continue a massagem por alguns minutos, concentrando-se na sensação de relaxamento.

4. Estímulo Facial com Água Fria

O contato com água fria no rosto pode ativar o nervo vago, promovendo uma sensação de calma.

Como fazer:

  • Lavagem do Rosto: Lave o rosto com água fria por alguns segundos.
  • Toalha Fria: Molhe uma toalha com água fria e coloque-a sobre o rosto por alguns segundos a minutos.
  • Imersão Facial: Mergulhe o rosto em uma bacia com água fria por alguns segundos. Certifique-se de respirar normalmente e não prender a respiração por muito tempo.

5. Respiração Lenta, controlada e profunda, como descrito acima

D) Técnica de Relaxamento Muscular Progressivo

O relaxamento muscular progressivo envolve a tensão e o relaxamento de diferentes grupos musculares do corpo, ajudando a reduzir a tensão física e a ansiedade. Aqui está como fazer:

Como fazer:

  • Encontre um lugar tranquilo: Sente-se ou deite-se confortavelmente.
  • Tensione os músculos: Comece pelos pés. Tensione os músculos dos pés o máximo que puder por 5 segundos.
  • Relaxe os músculos: Solte a tensão e relaxe os músculos por 10 a 20 segundos, percebendo a diferença entre tensão e relaxamento.
  • Suba pelo corpo: Continue a tensionar e relaxar os músculos das pernas, abdômen, braços, mãos, pescoço e rosto.
  • Repetição: Continue até sentir uma sensação de relaxamento.

E) Técnica de Visualização Guiada

A visualização guiada envolve imaginar cenários tranquilos e relaxantes para ajudar a reduzir a ansiedade.

Como fazer:

  • Feche os olhos: Encontre um lugar calmo e feche os olhos.
  • Imagine um lugar calmo: Visualize um lugar onde você se sente seguro e relaxado, como uma praia, uma floresta ou uma montanha.
  • Use todos os sentidos: Imagine as cores, sons, cheiros e sensações desse lugar. Tente tornar a imagem o mais vívida possível.
  • Permaneça no lugar: Fique nesse lugar imaginário por alguns minutos, respirando calmamente e permitindo-se relaxar completamente.

Conclusão

As técnicas descritas são estratégias poderosas para ajudar a navegar pelas tempestades emocionais que são as crises de ansiedade ou pânico. Essas práticas são baseadas em princípios das neurociências que demonstram como a ativação do sistema nervoso parassimpático e a redução da atividade do Sistema de Resposta à Ameaça podem reduzir a resposta de emergência durante as crises de ansiedade e pânico.

Treinar essas técnicas regularmente, especialmente quando você não está em crise, pode aumentar sua eficácia. Assim como um marinheiro que pratica manobras de emergência antes de enfrentar uma tempestade, familiarizar-se com essas técnicas em momentos de calma pode torná-las mais acessíveis e automáticas durante uma crise.

Lembre-se também que a psiquiatria moderna oferece uma variedade de tratamentos eficazes que podem ajudar a controlar as regiões envolvidas nessa resposta exacerbada e desproporcional do cérebro, e que têm mostrado resultados promissores no controle e na redução da frequência e intensidade dessas crises.

Mantenha o otimismo e encare essas práticas como ferramentas valiosas no seu arsenal contra a ansiedade. Com o treinamento regular e, sempre que possível, o apoio de um médico psiquiatra, você pode alcançar um bom controle sobre suas respostas emocionais e viver uma vida mais equilibrada e tranquila. Assim como as tempestades no mar, as crises de ansiedade e pânico podem ser navegadas e superadas com as técnicas certas e tratamento adequado.

Dr Cyro Masci - autor 1
Autor: Dr. Cyro Masci
CREMESP 39126
Psiquiatra RQE CFM 9738
Psiquiatria Integrativa

O que fazer durante uma crise de ansiedade ou de pânico

O que fazer durante uma crise de ansiedade ou de pânico

Imagine que você está no meio de uma tempestade no mar. As ondas estão altas e o vento sopra forte, fazendo com que seu barco balance violentamente. Você sente que pode ser lançado ao mar a qualquer momento, e a sensação de desespero é avassaladora. Essa é a sensação de uma crise de ansiedade ou de pânico – um turbilhão de emoções e sensações físicas que parecem incontroláveis e ameaçadoras.

Durante esses momentos de tempestade emocional, é comum sentir-se descontrolado e incapaz de lidar com a situação. No entanto, assim como um marinheiro experiente conhece técnicas para navegar através de uma tempestade, existem métodos eficazes para reduzir a intensidade de uma crise de ansiedade ou de pânico e recuperar o controle.

Este texto apresenta 5 estratégias comprovadamente úteis nessa situação:

A) Técnica de Grounding (Aterramento)

A técnica de grounding é uma ferramenta poderosa para reconectar-se com o presente e afastar-se das sensações avassaladoras de uma crise. Você pode usar qualquer uma das partes dessa técnica separadamente ou combiná-las conforme achar necessário. Vamos esmiuçar cada parte:

1. Foco nos Cinco Sentidos

Esta parte da técnica envolve usar os seus sentidos para ancorar-se no momento presente, ajudando a reduzir a sensação de estar fora de controle.

Como fazer:

  • 5 coisas que você pode ver: Olhe ao seu redor e identifique cinco coisas que você pode ver. Pode ser qualquer coisa, como uma planta, um quadro na parede, um livro, etc.
  • 4 coisas que você pode tocar: Encontre quatro coisas ao seu alcance que você pode tocar. Pode ser a textura do tecido da sua roupa, uma caneta, uma mesa, etc.
  • 3 coisas que você pode ouvir: Pare e escute três sons diferentes ao seu redor. Pode ser o som do vento, o som de pessoas conversando, o som do seu próprio respirar, etc.
  • 2 coisas que você pode cheirar: Tente identificar dois cheiros ao seu redor. Pode ser o aroma de uma vela, o cheiro do café, o cheiro do sabão nas suas mãos, etc.
  • 1 coisa que você pode saborear: Concentre-se em uma coisa que você pode saborear. Pode ser o sabor de um chiclete, uma bala, ou simplesmente a sensação da sua saliva.

2. Foco na Respiração Profunda

A respiração profunda ajuda a acalmar o sistema nervoso e reduzir a frequência cardíaca.

Como fazer:

  • Sente-se ou fique em pé em uma posição confortável.
  • Inspire profundamente pelo nariz durante 4 segundos.
  • Segure a respiração por 4 segundos.
  • Expire lentamente pela boca durante 6 segundos.
  • Repita esse ciclo por alguns minutos, focando apenas na sensação do ar entrando e saindo do seu corpo.

3. Foco nas Sensações Físicas

Concentrar-se em sensações físicas específicas pode ajudar a desviar sua atenção da ansiedade para o ambiente ao seu redor.

Como fazer:

  • Toque algo com uma textura interessante, como uma bola antiestresse, um tecido macio ou um objeto que você goste de segurar.
  • Sente-se firmemente numa cadeira, sentindo o peso do seu corpo contra o assento e os pés firmes no chão.
  • Pressione suavemente as pontas dos dedos uma contra a outra e observe a sensação.
  • Movimente-se, como levantar e esticar os braços, para sentir o movimento dos músculos e a diferença entre tensão e relaxamento.

Como combinar estratégias de Grounding (Aterramento)

Você pode usar essas técnicas de grounding de maneira individual ou combiná-las conforme achar necessário. Por exemplo, se estiver numa crise, pode começar com o foco na respiração profunda para acalmar o corpo e, em seguida, passar para a técnica dos cinco sentidos para se reconectar com o ambiente. Se preferir, pode focar apenas nas sensações físicas para ajudar a trazer a mente de volta ao presente. O importante é encontrar a combinação que melhor funcione para você.

B) Técnica da Respiração Controlada

A respiração controlada é uma técnica eficaz para gerenciar crises de ansiedade. A respiração lenta e profunda pode ativar o sistema nervoso parassimpático, que ajuda a reduzir a resposta ao estresse. Abaixo estão algumas variações de técnicas de respiração, incluindo uma focada no controle da expiração, ideal para pacientes que têm dificuldade em controlar a inspiração.

1. Respiração Diafragmática

Esta técnica envolve respirar profundamente com o diafragma, promovendo relaxamento e calma.

Como fazer:

  • Inspiração: Inspire profundamente pelo nariz durante 4 segundos, sentindo o abdômen se expandir.
  • Pausa: Segure a respiração por 4 segundos.
  • Expiração: Expire lentamente pela boca durante 6 segundos, sentindo o abdômen se contrair.
  • Repetição: Repita esse ciclo por alguns minutos até sentir-se mais calmo.

2. Respiração Quadrada ou Em Caixa

Também conhecida como respiração em caixa, esta técnica é simples e estruturada, ajudando a equilibrar a respiração.

Como fazer:

  • Inspire: Inspire pelo nariz contando até 4.
  • Pausa: Segure a respiração contando até 4.
  • Expire: Expire pela boca contando até 4.
  • Pausa: Segure a respiração contando até 4.
  • Repetição: Repita o ciclo várias vezes.

3. Respiração Focada na Expiração

Para pacientes que têm dificuldade em controlar a inspiração, focar na expiração lenta pode ser particularmente útil.

Como fazer:

  • Inspiração Natural: Inspire pelo nariz de forma natural e confortável, sem forçar a profundidade.
  • Expiração Prolongada: Expire pela boca o mais lentamente que conseguir. Imagine que está soprando através de um canudo, prolongando a expiração por 8 segundos ou mais.
  • Pausa Breve: Faça uma breve pausa de 2 segundos antes de inspirar novamente.
  • Repetição: Continue esse ciclo, focando-se em manter a expiração o mais lenta e longa possível. Repetir por alguns minutos até sentir-se mais calmo.

Dicas Adicionais:

  • Posição confortável: Sente-se ou deite-se em uma posição confortável para facilitar a respiração.
  • Ambiente tranquilo: Encontre um ambiente tranquilo onde você possa se concentrar na respiração sem distrações.
  • Mantenha o foco na sensação: Concentre-se nas sensações da respiração – o ar entrando e saindo do seu corpo, a expansão e contração do seu abdômen.

C) Técnica de Estimulação do Nervo Vago

O nervo vago é um dos nervos mais longos do corpo humano, partindo do cérebro e estendendo-se até o abdômen, passando por diversos órgãos importantes, incluindo o coração e o trato digestivo. Ele faz parte do sistema nervoso autônomo, que regula funções involuntárias do corpo, como a frequência cardíaca, a digestão e a respiração.

Papel do Nervo Vago e do Sistema Nervoso Autônomo

O sistema nervoso autônomo é dividido em duas partes principais: o sistema nervoso simpático e o sistema nervoso parassimpático. O sistema simpático é responsável pela resposta “luta ou fuga” durante situações de estresse, aumentando a frequência cardíaca e a pressão arterial. Em contrapartida, o sistema parassimpático, onde o nervo vago é um componente crucial, é responsável pela resposta “descanso e digestão”, promovendo o relaxamento e a recuperação.

Quando o nervo vago é estimulado, ele ativa o sistema nervoso parassimpático, ajudando a reduzir a resposta ao estresse, diminuir a frequência cardíaca e promover uma sensação de calma. Por isso, estimular o nervo vago pode ser uma maneira eficaz de aliviar os sintomas de uma crise de ansiedade ou pânico.

Aqui estão algumas técnicas detalhadas para estimular o nervo vago e promover o relaxamento:

1. Gargarejar

Gargarejar ativa o nervo vago através das vibrações na garganta.

Como fazer:

  • Água Morna: Pegue um copo de água morna.
  • Gargarejo: Gargareje a água por 30 segundos, deixando as vibrações acalmarem a área da garganta.
  • Repetição: Repita o processo algumas vezes até sentir-se mais calmo.

2.  Cantar, Humming ou Declamar Canções

Cantar, fazer um som de humming (zumbido) ou declamar canções utiliza vibrações vocais para estimular o nervo vago.

Como fazer:

  • Escolha uma Canção: Escolha uma música que você goste ou um poema que você saiba de cor, ou simplesmente faça um som de humming.
  • Cantar/Humming/Declamar: Cante, faça o som de humming ou declame a canção por alguns minutos, focando nas vibrações que percorrem sua garganta.
  • Repetição: Continue até sentir uma sensação de relaxamento.

3. Massagem Abdominal

Massagens leves na área abdominal podem estimular o nervo vago, promovendo relaxamento.

Como fazer:

  • Deite-se Confortavelmente: Deite-se de costas em uma posição confortável.
  • Movimentos Circulares: Com as pontas dos dedos, faça movimentos circulares leves no abdômen, especialmente na área ao redor do umbigo.
  • Pressão Suave: Use uma pressão suave, movendo-se no sentido horário.
  • Repetição: Continue a massagem por alguns minutos, concentrando-se na sensação de relaxamento.

4. Estímulo Facial com Água Fria

O contato com água fria no rosto pode ativar o nervo vago, promovendo uma sensação de calma.

Como fazer:

  • Lavagem do Rosto: Lave o rosto com água fria por alguns segundos.
  • Toalha Fria: Molhe uma toalha com água fria e coloque-a sobre o rosto por alguns segundos a minutos.
  • Imersão Facial: Mergulhe o rosto em uma bacia com água fria por alguns segundos. Certifique-se de respirar normalmente e não prender a respiração por muito tempo.

5. Respiração Lenta, controlada e profunda, como descrito acima

D) Técnica de Relaxamento Muscular Progressivo

O relaxamento muscular progressivo envolve a tensão e o relaxamento de diferentes grupos musculares do corpo, ajudando a reduzir a tensão física e a ansiedade. Aqui está como fazer:

Como fazer:

  • Encontre um lugar tranquilo: Sente-se ou deite-se confortavelmente.
  • Tensione os músculos: Comece pelos pés. Tensione os músculos dos pés o máximo que puder por 5 segundos.
  • Relaxe os músculos: Solte a tensão e relaxe os músculos por 10 a 20 segundos, percebendo a diferença entre tensão e relaxamento.
  • Suba pelo corpo: Continue a tensionar e relaxar os músculos das pernas, abdômen, braços, mãos, pescoço e rosto.
  • Repetição: Continue até sentir uma sensação de relaxamento.

E) Técnica de Visualização Guiada

A visualização guiada envolve imaginar cenários tranquilos e relaxantes para ajudar a reduzir a ansiedade.

Como fazer:

  • Feche os olhos: Encontre um lugar calmo e feche os olhos.
  • Imagine um lugar calmo: Visualize um lugar onde você se sente seguro e relaxado, como uma praia, uma floresta ou uma montanha.
  • Use todos os sentidos: Imagine as cores, sons, cheiros e sensações desse lugar. Tente tornar a imagem o mais vívida possível.
  • Permaneça no lugar: Fique nesse lugar imaginário por alguns minutos, respirando calmamente e permitindo-se relaxar completamente.

Conclusão

As técnicas descritas são estratégias poderosas para ajudar a navegar pelas tempestades emocionais que são as crises de ansiedade ou pânico. Essas práticas são baseadas em princípios das neurociências que demonstram como a ativação do sistema nervoso parassimpático e a redução da atividade do Sistema de Resposta à Ameaça podem reduzir a resposta de emergência durante as crises de ansiedade e pânico.

Treinar essas técnicas regularmente, especialmente quando você não está em crise, pode aumentar sua eficácia. Assim como um marinheiro que pratica manobras de emergência antes de enfrentar uma tempestade, familiarizar-se com essas técnicas em momentos de calma pode torná-las mais acessíveis e automáticas durante uma crise.

Lembre-se também que a psiquiatria moderna oferece uma variedade de tratamentos eficazes que podem ajudar a controlar as regiões envolvidas nessa resposta exacerbada e desproporcional do cérebro, e que têm mostrado resultados promissores no controle e na redução da frequência e intensidade dessas crises.

Mantenha o otimismo e encare essas práticas como ferramentas valiosas no seu arsenal contra a ansiedade. Com o treinamento regular e, sempre que possível, o apoio de um médico psiquiatra, você pode alcançar um bom controle sobre suas respostas emocionais e viver uma vida mais equilibrada e tranquila. Assim como as tempestades no mar, as crises de ansiedade e pânico podem ser navegadas e superadas com as técnicas certas e tratamento adequado.

Dr Cyro Masci - autor 1
Autor: Dr. Cyro Masci
CREMESP 39126
Psiquiatra RQE CFM 9738

Dr. Cyro Masci
CREMESP 39126
Psiquiatra RQE CFM 9738

otorrino em florianopolisO que fazer durante uma crise de ansiedade ou de pânico

OUTROS DESTAQUES

Go to Top